Apesar da burocracia, aumenta o número de eventos gratuitos nas ruas do DF

Festas e shows confirmam a criatividade de artistas e produtores culturais em driblar os tempos de crise.

A produção cultural brasiliense tem sido cada vez mais pulsante. Seguindo a tendência das grandes metrópoles, os espaços arborizados e monumentais da cidade projetada por Lucio Costa recebem nos últimos anos um número expressivo de eventos públicos. Um levantamento realizado pela Administração do Plano Piloto confirma essa tendência: em 2015, foi registrada a realização de 350 eventos gratuitos.
Entre janeiro e abril deste ano, foram viabilizadas 136 manifestações culturais. Para os próximos dois meses, o órgão prevê 50 eventos em áreas públicas. O movimento tem impulsionado a agenda de cultura da capital em tempos de crise. “Brasília é uma cidade que está pulsando e acho que todos esses eventos são de extrema importância para a cultura da cidade. Em um momento de escassez financeira, essas atividades gratuitas chegaram para suprir uma lacuna”, ressalta o administrador do Plano Piloto Marcos Pacco.

Aliado ao contexto que favorece esse perfil de evento, estão nomes consagrados da cidade que abriram caminhos aos que desejam seguir carreira na área de produção. A burocracia para organizar um evento gratuito se transforma no principal desafio enfrentado pelos artistas e produtores. O ator Gabriel Marques, produtor da Cia. Circênicos e do Festival Internacional de Artistas de Rua de Brasília (FestiRua), precisou conhecer com mais afinco o universo da produção. “Muitas vezes, tirei o foco dos ensaios para aprender a resolver problemas burocráticos, o que interfere bastante nos espetáculos. Vários pontos culturais deveriam ser encarados como espaços culturais a céu aberto, o que facilitaria a realização dessas atividades”, sugere o artista em entrevista ao Correio.

Com grande experiência em produção cultural, um dos criadores da festa Criolina e do bloco carnavalesco Aparelhinho, Rodrigo Barata aliou o ofício de produção ao trabalho artístico por necessidade. Ex-integrante da banda de hardcore Pão com Ovo, formada na década de 1990, ele era um dois responsáveis por várias atividades de comunicação e administração do grupo.



Confira todos os passos para organizar um evento gratuito em área pública

PEQUENO

Enviar um ofício para a Subsecretaria de Ordem Pública e Social (SOPS) para comunicar o evento. O órgão analisa a viabilidade dos eventos: ela pesquisará eventos que acontecem em locais próximos e garante que um evento não impacte outro negativamente. Em caso afirmativo, a prioridade é automaticamente do evento que fez a solicitação com mais antecedência.

Caso o evento ocorra em área tombada, protocolar um ofício de anuência ao IPHAN.

Fazer um ofício para a Vara da Infância e Juventude. Em caso de eventos voltados a maiores de idade, é preciso especificar a informação no documento.

Assinar um termo de comprometimento com a recuperação do logradouro público: o produtor precisa se comprometer a entregar o local nas mesmas condições que estava anteriormente. Caso contrário, o poder público pode mover uma ação judicial para a pessoa para que ela pague os custos.

Alugar banheiros químicos e gerador de energia e apresentar o contrato à Administração do Plano Piloto.

Se o evento precisar de uma estrutura com tendas, é preciso apresentar uma Autorização de Responsabilidade Técnica (ART) emitida pelo Conselho de Engenheiros e Arquitetos (CREA). Para isso é preciso contratar um engenheiro ou arquiteto para traçar um mapa de planejamento do evento indicando as estruturas.

Protocolar uma carta de anuência ao Detran caso haja a necessidade de fechar uma via pública.

MÉDIO

Enviar um ofício para a Subsecretaria de Ordem Pública e Social (SOPS) para comunicar o evento. O órgão analisa a viabilidade dos eventos: ela pesquisará eventos que acontecem em locais próximos e garante que um evento não impacte outro negativamente. Em caso afirmativo, a prioridade é automaticamente do evento que fez a solicitação com mais antecedência.

Caso o evento ocorra em área tombada, protocolar um ofício de anuência ao IPHAN.

Fazer um ofício para a Vara da Infância e Juventude. Em caso de eventos voltados a maiores de idade, é preciso especificar a informação no documento.

Se o evento precisar de uma estrutura com tendas, é preciso apresentar uma Autorização de Responsabilidade Técnica (ART) emitida pelo Conselho de Engenheiros e Arquitetos (CREA). Para isso é preciso contratar um engenheiro ou arquiteto para traçar um mapa de planejamento do evento indicando as estruturas.

Assinar um termo de comprometimento com a recuperação do logradouro público: o produtor precisa se comprometer a entregar o local nas mesmas condições que estava anteriormente. Caso contrário, o poder público pode mover uma ação judicial para a pessoa para que ela pague os custos.

Alugar banheiros químicos e gerador de energia e apresentar o contrato à Administração do Plano Piloto. Também é preciso contratar brigadistas e UTI móvel. A quantidade é definida pelo órgão. Os documentos que comprovam as contratações devem ser entregues à administração até o último dia útil que antecede o evento.

Protocolar uma carta de anuência ao Detran caso haja a necessidade de fechar uma via pública.

Fazer um ofício para a Secretaria de Segurança Pública. Ela garante que os bombeiros e um efetivo da Polícia Militar fiquem de prontidão para o evento.

Para a segurança patrimonial (caixas de som, computadores, etc) é preciso contratar empresa de segurança privada.

10º Na véspera ou no dia do evento – a pedido da Administração do Plano Piloto – o Corpo de Bombeiros, a Defesa Civil e a Vigilância Sanitária preenchem laudos técnicos para avaliação da estrutura do evento. “Quanto mais cedo montá-la, maior a garantia de que o evento será realizado”, afirma o administrador do Plano Piloto Marcos Pacco.

GRANDE

Enviar um ofício para a Subsecretaria de Ordem Pública e Social (SOPS) para comunicar o evento. O órgão analisa a viabilidade dos eventos: ela pesquisará eventos que acontecem em locais próximos e garante que um evento não impacte outro negativamente. Em caso afirmativo, a prioridade é automaticamente do evento que fez a solicitação com mais antecedência.

Caso o evento ocorra em área tombada, protocolar um ofício de anuência ao IPHAN.

Fazer um ofício para a Vara da Infância e Juventude. Em caso de eventos voltados a maiores de idade, é preciso especificar a informação no documento.

Se o evento precisar de uma estrutura com tendas, é preciso apresentar uma Autorização de Responsabilidade Técnica (ART) emitida pelo Conselho de Engenheiros e Arquitetos (CREA). Para isso é preciso contratar um engenheiro ou arquiteto para traçar um mapa de planejamento do evento indicando as estruturas.

Assinar um termo de comprometimento com a recuperação do logradouro público: o produtor precisa se comprometer a entregar o local nas mesmas condições que estava anteriormente. Caso contrário, o poder público pode mover uma ação judicial para a pessoa para que ela pague os custos.

Alugar banheiros químicos e gerador de energia e apresentar o contrato à Administração do Plano Piloto. Também é preciso contratar brigadistas e UTI móvel. A quantidade é definida pelo órgão. Os documentos que comprovam as contratações devem ser entregues à administração até o último dia útil que antecede o evento.

Protocolar uma carta de anuência ao Detran caso haja a necessidade de fechar uma via pública.

Fazer um ofício para a Secretaria de Segurança Pública. Ela garante que os bombeiros e um efetivo da Polícia Militar fiquem de prontidão para o evento.

Para a segurança patrimonial (caixas de som, computadores, etc) é preciso contratar empresa de segurança privada.

10º Na véspera ou no dia do evento – a pedido da Administração do Plano Piloto ou qualquer região administrativa – o Corpo de Bombeiros, a Defesa Civil e a Vigilância Sanitária (quando houver praça de alimentação) preenchem laudos técnicos para avaliação da estrutura do evento. “Quanto mais cedo montá-la, maior a garantia de que o evento será realizado”, afirma o administrador do Plano Piloto Marcos Pacco.

ESPECIAL

Enviar um ofício para a Subsecretaria de Ordem Pública e Social (SOPS) para comunicar o evento. O órgão analisa a viabilidade dos eventos: ela pesquisará eventos que acontecem em locais próximos e garante que um evento não impacte outro negativamente. Em caso afirmativo, a prioridade é automaticamente do evento que fez a solicitação com mais antecedência.

Caso o evento ocorra em área tombada, protocolar um ofício de anuência ao IPHAN.

Fazer um ofício para a Vara da Infância e Juventude. Em caso de eventos voltados a maiores de idade, é preciso especificar a informação no documento.

Se o evento precisar de uma estrutura com tendas, é preciso apresentar uma Autorização de Responsabilidade Técnica (ART) emitida pelo Conselho de Engenheiros e Arquitetos (CREA). Para isso é preciso contratar um engenheiro ou arquiteto para traçar um mapa de planejamento do evento indicando as estruturas.

Assinar um termo de comprometimento com a recuperação do logradouro público: o produtor precisa se comprometer a entregar o local nas mesmas condições que estava anteriormente. Caso contrário, o poder público pode mover uma ação judicial para a pessoa para que ela pague os custos.

Alugar banheiros químicos e gerador de energia e apresentar o contrato à Administração do Plano Piloto. Também é preciso contratar brigadistas. A quantidade é definida pelo órgão. Os documentos que comprovam as contratações devem ser entregues à administração até o último dia útil que antecede o evento.

Enviar um ofício para a Subsecretaria de Ordem Pública e Social (SOPS) para comunicar o evento. O órgão analisa a viabilidade dos eventos: ela pesquisará eventos que acontecem em locais próximos e garante que um evento não impacte outro negativamente. Em caso afirmativo, a prioridade é automaticamente do evento que fez a solicitação com mais antecedência.

Protocolar uma carta de anuência ao Detran caso haja a necessidade de fechar uma via pública.

Para a segurança patrimonial (caixas de som, computadores, etc) é preciso contratar empresa de segurança privada.

10º Fazer um ofício para a Secretaria de Segurança Pública. Ela garante que os bombeiros e um efetivo da Polícia Militar fiquem de prontidão para o evento.

11º Na véspera ou no dia do evento – a pedido da Administração do Plano Piloto –o Corpo de Bombeiros, a Defesa Civil e a Vigilância Sanitária (quando houver praça de alimentação) preenchem laudos técnicos para avaliação da estrutura do evento. “Quanto mais cedo montá-la, maior a garantia de que o evento será realizado”, afirma o administrador do Plano Piloto Marcos Pacco.

Fonte: correiobraziliense

Share this article

K2_AUTHOR

Agencia Divulgar

Divulgar é uma agência de marketing digital com atuação inicial em Brasília. Oferece diversos   meios de publicação em massa dentro de um único pacote, tornando viável o investimento e   mais efetiva a ação de divulgação.

Website.: www.agenciadivulgar.com.br
Entre para postar comentários

Sobre o portal

Fique por dentro de tudo que acontece em Brasília e Região!

Últimas postagens

Receba novidades

As principais notícias de Brasília em seu e-mail!