Após decreto de reabertura, academias de Brasília tem 58% de recuperação de alunos

Reabertura de academias em Brasília

Informação
Typography
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Levantamento foi feito pela Tecnofit com um base de dados de mais de 3 mil estabelecimentos fitness em todo o país.

No mês de julho, grandes capitais como São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília voltaram a ter os comércios reabertos após decretos municipais e estaduais. Os estabelecimentos fitness estão entre essas empresas que reabriram e seguem em um cenário mais otimista. Segundo o balanço da Tecnofit, startup de gestão fitness, até o dia 19 de julho a média de recuperação de alunos durante o período da quarentena foi de 72%.


O levantamento começou a ser feito após o dia 27 de abril. Desde então, com esses decretos que uma vez autorizam a abertura e em outra determinam o fechamento das academias e demais comércios, a média de perda de clientes no setor fitness chegou a bater 59,9%. Os modelos de negócios monitorados foram: academias (low cost, intermediário, premium e piscina), centros de treinamento (box de crossfit, artes marciais, espaços de treinamento funcional e crosstraining) e estúdios (pilates, yoga, pole dance e dança). Com a reabertura autorizada, mesmo em meio a um cenário instável, a porcentagem de recuperação de clientes, que chegou a 72%, mostra que desde o fechamento dos estabelecimentos até agora os resultados já são bem positivo.


“Em pouco tempo o cenário já se demonstrou mais otimista para o setor. Sempre é importante ter planejamento e estar preparado para tudo o que pode acontecer nos próximos meses. Porém, o balanço mostra que a tendência é que a cada dia mais as pessoas retornem às atividades físicas, não só para o benefício da saúde da população, mas também para os negócios”, afirma Antonio Maganhotte Junior, CEO da Tecnofit.


Brasília aponta recuperação de alunos de 58%


Com o último decreto de reabertura, os estabelecimentos fitness já puderam sentir uma recuperação do setor. A amostra da capital do país aponta uma recuperação dos alunos de 58%. A queda de alunos ativos durante a quarentena foi de 61%, o que mostra que aos poucos os empreendimentos do setor estão se reerguendo.

No cenário nacional a média de recuperação dos estabelecimentos do setor fitness foi de 72%. Por tipo de estabelecimento a recuperação ficou assim: as academias atingiram 73,1%, os centros de treinamento chegaram a 69,7% e os estúdios foram os que tiveram maior resultado até o momento, chegando a 75,4%.


Retorno das atividades é positivo se comparado ao período pré-pandemia

Segundo Antonio Maganhotte Junior, o retorno das atividades no país, de uma forma geral, tem sido gradativo. "É possível perceber essa melhora no cenário se compararmos o momento atual com a média de frequência de alunos antes da pandemia. Apesar de praticamente tudo ser muito instável, os números mostram que a tendência é que muitos alunos, que cancelaram matrículas durante a quarentena, voltem logo às atividades", explica Maganhotte.


Antes da pandemia a frequência média de alunos em academias era de 40,2% e em centros de treinamento era de 36,2%. Com o primeiro decreto de quarentena, em abril a frequência média dos alunos dos centros foi para 14%, em maio passou a ser 23,6%, em junho chegou na casa do 30,9% e agora em julho já atingiu 32%. Nas academias, o cenário é um pouco diferente, diante das oscilações, mas ainda positivo se comparado ao início do período analisado. Em abril a média de alunos chegou a 15%, em maio já subiu para 20,4%, em junho chegou a 22,8% e em julho houve uma queda na média contabilizando 21,5%.


“Os números demonstram a cada dia que com o tempo as pessoas vão se sentir mais confiantes e seguras para o retorno, já que cada estabelecimento vai ter como hábitos manter os cuidados com a saúde dos clientes e também a higienização do ambiente. As medidas de segurança de agora são as que vão criar vínculos futuros”, conta o CEO da Tecnofit.

Para acessar o balanço completo do setor fitness durante a pandemia, acesse o site da Tecnofit


Sobre a Tecnofit


Sistema de gestão de negócios fitness totalmente online criado pelo programador Anderson  Cichon e por Antonio  Maganhotte  Junior, sócio-fundador do  EBANX. Com o sistema, o gestor controla diversas áreas como financeiro, vendas, relacionamento, programa de fidelidade, agenda de turmas, fichas de treinos e muitas outras funcionalidades.


Aliado a ele, existe também o aplicativo  Tecnofit Gestão, que complementa a administração do negócio com total mobilidade, e também  o  aplicativo  Tecnofit  destinado para o aluno, que controla ficha de exercícios, avaliação física, resultados, check-in nas aulas, contratos e renovação de planos.  A empresa ainda tem outros aplicativos: o  Tecnofit Box, voltado para alunos de  CrossFit; e o  Personal, feito para a gestão e controle dos  personal  trainers.